Alecive-Flatwoken-Apps-Whatsapp whatsapp Agende: 61 99993 0038
 

Saiba como o uso da espuma densa tem ajudado no tratamento das varizes

Home  |  Notícias   |  Saiba como o uso da espuma densa tem ajudado no tratamento das varizes
Dr. Antonio Souza

Saiba como o uso da espuma densa tem ajudado no tratamento das varizes

Podemos dizer que varizes são aquelas veias problemáticas, que não mais conseguem cumprir a tarefa de transportar o sangue de volta para o coração. Por conta de falhas, elas ficam dilatadas e aí o processo de circulação fica comprometido. Em geral, aparecem nos membros inferiores.

E tem muita gente com isso. Dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular revelam que 45% das mulheres e 30% dos homens, no Brasil, sofrem desse mal, considerado pelo Ministério da Saúde como um grave problema de saúde pública no país. Para se ter uma ideia da situação, em 2016, só na rede pública foram 90 mil pessoas atendidas por conta de varizes. 

Uma das maneiras de tratá-las é com o uso da espuma. Isso mesmo que você leu, espuma. Quer saber mais? A Clínica Angiomedi tira as principais dúvidas:

É possível explicar por que surgem as varizes?

Não há como apontar um único motivo. São várias as causas, e a principal é a genética. Na prática, significa que filhos de pais com varizes têm mais chances de ter também. O uso de anticoncepcionais – por conta dos hormônios – passar muito tempo sentado ou em pé e excesso de peso favorecem o aparecimento.

O que é a injeção de espuma?

O nome do procedimento é escleroterapia, que consiste na mistura de esclerosantes com o ar. As substâncias usadas são o tetradecil sulfato de sódio e o polidocanol, sendo que, no Brasil, o polidocanol predomina.

O médico agita o medicamento em uma seringa. Em poucos segundos, em contato com o ar, ele se transforma em uma espuma – muito parecida com aquelas destinadas ao barbear. Em seguida, o especialista realiza a aplicação. O produto irá fechar e secar a veia. O principal objetivo é inutilizá-la, já que não mais ajuda na circulação sanguínea.

Preciso me internar para fazer o procedimento?

Não. Tudo é feito em um consultório. Não há cortes e é praticamente indolor. O paciente sente apenas aquela famosa picadinha da agulha.   

As sessões duram alguns minutos, e a frequência vai depender da quantidade e da situação das veias. No caso das veias maiores, os médicos utilizam como apoio um aparelho de ultrassom para garantir melhor resultado.

Essa técnica acaba de vez com o problema?

Esse é um aspecto que precisa ficar esclarecido. Nenhum tratamento de varizes pode ter a pretensão de cura. Sempre haverá a necessidade de acompanhamento e tratamentos complementares. A espuma densa tem um papel muito relevante no arsenal de técnicas, mas não é indicada para todos os casos.

Já que essa técnica é simples, posso entender que ela não oferece risco?

De forma alguma. Não se trata de cirurgia, mas o procedimento oferece riscos, como reações alérgicas, manchas escuras e, nas situações mais graves, a trombose venosa profunda. O percentual é pequeno, não passa de 3%, mas existe.

Por isso, é importante fazer a aplicação com um profissional preparado. Ele deve ser um angiologista ou cirurgião vascular, que já na primeira consulta faz uma avaliação minuciosa para identificar o grau das varizes e se há indicação para o uso da técnica da espuma.

 Após a sessão, posso voltar a trabalhar?

Sim. Outra vantagem dessa técnica é o retorno imediato às atividades rotineiras. O paciente sairá do consultório andando normalmente com uma faixa, que deverá ser mantida por pelo menos 3 dias.

Os cuidados na pós-sessão são essenciais para garantir melhores resultados:

– usar meias de compressão elásticas por 15 dias;

– evitar exposição ao sol por pelo menos um mês;

– depois desse período, usar e abusar do filtro solar.

Cuidados

Há várias formas de tratar as varizes. O ideal é conversar com seu angiologista ou cirurgião vascular, que tem condições de orientar sobre a melhor opção para o seu caso. Varizes representam um problema sério que, ao contrário do que muita gente pensa, vai além do incômodo e do prejuízo estético. O acompanhamento periódico é fundamental, já que a formação de varizes é um problema crônico.

Saiba mais sobre o Dr. Antonio Carlos de Souza

O diretor técnico da Clínica Angiomedi, em Brasília, tem um currículo que o torna grande conhecedor na especialidade. Formou-se, em 1992, em Medicina pela Universidade de Brasília. A Residência Médica em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Angiologia ocorreu de 1993 a 1996. E não parou por aí. Concluiu o Doutorado em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo, em 2001.

Marcou participação no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP-RP, onde foi médico assistente.

Atualmente, é membro titular da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, e atual vice-diretor de Defesa Profissional. É também membro da IVS (Independent Vascular Services).

É professor do curso de Medicina da Universidade Católica de Brasília e coordenador do curso de Medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde, onde também foi docente.

A dedicação ao estudo em educação médica e à assistência médica em Angiologia e Cirurgia Vascular não pára, visto que está sempre em busca de atualizações para beneficiar os pacientes.

Saiba mais sobre a Angiomedi

Tudo começou em 2013, quando o cirurgião vascular Dr. Antonio Carlos de Souza fundou a unidade com o intuito de ser um centro médico altamente especializado em saúde vascular. E assim aconteceu e é realidade. A Clínica Angiomedi conta com um trabalho diferenciado voltado para a prevenção, diagnóstico e tratamento dos transtornos circulatórios.

A missão é agregar respeito, humanização, responsabilidade, inovação e personalização para prestar um atendimento de ponta, que contribua com a melhoria da saúde vascular dos pacientes.

A Clínica Angiomedi oferece o que há de mais moderno e eficaz no tratamento de varizes, aneurismas de aorta abdominal e úlceras de pernas e pés diabéticos.

PREV

O que você precisa saber sobre o tratamento de varizes com espuma densa

NEXT

O que você precisa saber sobre Chikungunya e doenças vasculares

  • Maria Alice Campos Hernandes
    REPLY

    Gostaria de saber se o Dr Humberto ainda trabalha nesta clínica, grata

    março 23, 2017

Deixe um comentário